Compre Óleo de Coco na Loja do Lardim! - Clique aqui

 

Coqueiro (Cocos nucifera)




Nome Científico: Cocos nucifera L.
Família: Palmáceas
Nomes populares: Coqueiro, coqueiro-da-Índia, coco-da-baía
Origem: Muitas referências afirmam que o Cocos nucifera é originário da Índia. Há algumas referências, entretanto, que defendem a origem desconhecida desta palmeira.
Clima: A planta frutifica apenas em locais de clima quente.
Curiosidade: Há uma teoria muito interessante que tenta explicar a forma como esta palmeira teria se espalhado: os cocos teriam flutuado de um continente para o outro por meio das correntes oceânicas. Isso explicaria, por exemplo, a afirmação de que o coqueiro teria entrado de forma natural na região litorânea entre a Bahia e o Rio Grande do Norte.

 

O coqueiro é uma planta perene, uma palmeira de estipe liso que pode atingir até 25 m de altura e 30 a 50 cm de diâmetro. As folhas são largas e compridas. O fruto é uma noz grande com uma semente recoberta por uma casca dura. No interior da casca, encontra-se a amêndoa, que é a parte comestível, com cerca de 1cm de espessura e a cavidade cheia de líquido - a deliciosa água de coco! O período entre a formação do fruto até o amadurecimento é de cerca de 12 meses.

 

Existem atualmente no mercado vários híbridos da espécie. Segundo informações da Embrapa Tabuleiros Costeiros, a variedade anã (Cocos nucifera 'nana'), em razão da maior precocidade de produção, maior produção de frutos, melhor sabor da água e menor porte é a mais recomendada para exploração comercial de água de coco. Nessa variedade existem as cultivares amarela, verde e vermelha. No Brasil, a cultivar anã verde é a que predomina, sendo a escolhida para plantio pelos produtores. Essa cultivar trazida do Oriente foi introduzida no país inicialmente plantada na Bahia, em 1924, pelo então Ministro da Agricultura. O coqueiro anão verde é precoce, podendo florescer até com dois anos de idade após o plantio definido, desde que no cultivo haja aplicação da correta tecnologia. Em função também da tecnologia aplicada, a produção de frutos pode chegar a mais de 200 frutos por pé/ano. O fruto é considerado pequeno e contém uma média de 300ml de água. O porte dessa cultivar, na idade adulta (20 a 30 anos), é de 10 a 12 m de altura e sua vida útil econômica pode chegar até a 40 anos.

 

Sem chuva e calor não dá!

Planta de clima tropical, o coqueiro se concentra em nosso país na zona do litoral nordestino, mas pode ser cultivado em outras regiões distantes do mar. Para o bom desenvolvimento da planta não pode ocorrer falta de água, necessitando cerca de 2000 mm de chuvas bem distribuídas durante o ano. A temperatura média anual não deve ser inferior a 22 graus C, fator muito importante para a floração do coqueiro. Além disso, a planta não tolera ventos fortes e frios e necessita boa insolação. Quanto ao solo, deve ser leve, profundo, permeável e arejado. O pH ideal situa-se na faixa de 6,0 a 6,5. A propagação do coqueiro se dá por meio de sementes que devem ser obtidas de plantas produtivas, de estipe reto e vigoroso; boa distribuição de copa e grande número de folhas e, é claro, livre de pragas e doenças. Os frutos escolhidos devem apresentar tamanho médio, formato arredondado e estarem perfeitamente maduros (11 a 12 meses de idade).

 

 

Cuidados

Pelo menos dois cuidados são fundamentais para o cultivo do coqueiro: o controle de ervas daninhas e a adubação. Segundo a Coordenadoria de Assistência Técnica (Cati), o coqueiro-anão inicia a sua fase produtiva a partir do terceiro ano, mas só atinge o máximo produtivo depois do sétimo ano. A adubação é indispensável para a boa produção dos coqueiros, são necessárias quatro adubações básicas ao ano (uma a cada 3 meses) com 700 gramas de nitrocálcio e 250 gramas de cloreto de potássio por planta. Os produtos podem ser adquiridos em lojas de produtos agropecuários. Recomenda-se aplicar anualmente 40 litros de esterco de curral, 200 g de superfosfato simples, 100 g de cloreto de potássio e 50 g de cloreto de sódio por planta. Quanto às pragas, as mais comuns são a broca do olho do coqueiro, a broca do tronco, a traça das flores e as lagartas. Todas merecem controle imediato com produtos indicados por um agrônomo.

 

Delícia refrescante e nutritiva

A casca do coco é relativamente fina e lisa, por baixo dela é que há uma espessa capa fibrosa que envolve uma camada muito dura, dentro da qual fica a polpa - uma massa suculenta e de cor branca. Quando o coco está verde, essa parte é pouco desenvolvida e mole, geralmente com muita água na cavidade. À medida que o coco vai amadurecendo, a parte carnosa se torna mais consistente e a quantidade de água diminui.

 

A polpa pode ser consumida ao natural, ralada, ou ainda utilizada no preparo de deliciosos pratos culinários, especialmente na culinária típica nordestina. O coco é rico em proteína e vitaminas. A água é saborosa, hidratante e considerada um isotônico natural por ser rica em sais minerais. A presença do sódio e potássio em sua composição possibilita a recuperação destes minerais perdidos através da urina e, sobretudo, do suor. Sua composição é semelhante a do soro fisiológico, o que a torna eficiente para hidratar a pele, reduzir o colesterol, combater a desidratação, enjôos e também a retenção de líquidos no organismo.

 

Na medicina popular a água do coco verde é usada para combater enjôo e vômitos na gravidez, combate irritações gastrointestinais e prisão de ventre. Foi também muito usada para tratamento da febre amarela. Com o coco ralado era preparado um xarope para combater a tosse rebelde e a polpa pura é muito usada para ajudar a expelir a solitária. Em muitas regiões do Brasil ainda é costume utilizar como um bom vermífugo para as crianças um preparado feito com coco ralado batido com água e uma pitada de sal. Geralmente a bebida é consumida em jejum para eliminar e expelir vermes. O coco fresco, ainda fechado, pode ser conservado por dois meses. Depois de aberto, a polpa deve ser consumida no mesmo dia ou conservada em geladeira por até cinco dias.

 

Para saber se o coco está em condições de consumo, lá vai uma dica: bata com uma moeda na casca, se o som for estridente o coco está fresco, se o som for oco indica que o fruto não está bom para o consumo.

 

Para saber mais: http://www.cpatc.embrapa.br

 

 

Onde encontrar: Compre Óleo de Coco na www.lojadojardim.com

 

 

 

 


 


© Todos os direitos reservados.                                            Contato   Vídeos     Sobre Nós                                                         Visite a Loja do Jardim