Kit's para cultivo de flores e plantas estão à venda na Loja do Jardim - Clique aqui!

Plantas trepadeiras: soluções para decorar muros

Muro coberto com amor-agarradinho (Antigonon leptopus)

Todos nós sabemos que os muros são necessários para garantir a privacidade e a segurança, ou mesmo delimitar áreas. Mas convenhamos: eles não são nada bonitos. Por mais que se utilizem materiais modernos e arrojados, muros são sempre muros. O boa notícia é que quem gosta de plantas pode contornar este problema e ainda criar um visual natural, integrando o muro ao projeto paisagístico de sua casa.

Veja só o que algumas plantas trepadeiras podem fazer em muros frios e sem vida!

Trepadeiras sarmentosas ou com gavinhas: 
As gavinhas são ramos filamentosos, herbáceos, sem folhas, que servem como elementos de fixação da planta. Assemelham-se a uma espécie de fios finos e enrolados que permitem que a planta se fixe nos apoios que encontra pelo caminho. Aparecem em plantas como o maracujazeiro e a parreira. As trepadeiras com gavinhas podem conferir um visual belo e florido ao muro, mas necessitam de uma estrutura de suporte como uma tela de arame ou plástico, distanciada uns 3 cm do muro. Estas espécies são ótimas sugestões:

· Tetrastigma ou trepadeira-castanha (Tetrastigma voinierianum):resulta num visual muito ornamental, como se fosse uma densa cortina de folhas. Apesar disso, ela apresenta um inconveniente: por apresentar um crescimento muito vigoroso, acaba "engolindo" qualquer outra planta que estiver ao seu lado. Ideal para regiões de clima ameno e frio, só se desenvolve bem sob sol pleno. Originário do Vietnã, reproduz-se por estaquia de galho e o espaçamento ideal para o plantio é de 50 cm entre as plantas. Veja foto ao lado

· Maracujá-roxo (Passiflora edulis): é o mais conhecido, produz flores belíssimas, com uma mistura de cores exuberante e frutos quase o ano inteiro. Originária do Brasil e América tropical, necessita de sol pleno para se desenvolver. Propaga-se por meio de sementes. O plantio utilizando mudas já formadas garante maior rapidez na cobertura do muro. O espaçamento ideal para o plantio é de 1,5 m entre as plantas.

· Maracujá-de-flor-vermelha ou maracujá-poranga (Passiflora coccínea): esta espécie de maracujá caracteriza-se por apresentar flores predominantemente vermelhas. A exemplo do maracujá-roxo, também é originária do Brasil e da América tropical, necessita de sol pleno para se desenvolver e propaga-se por meio de sementes. O espaçamento ideal para o plantio também é de 1,5 m entre as plantas. Veja foto ao lado. 

· Amor-agarradinho ou mimo-do-céu (Antigonon leptopus): sua folhagem é brilhante e a floração cor-de-rosa é abundante e delicada. A condução com fios de nylon é fundamental para sua adaptação. Originária do México, deve ser cultivada sob sol pleno. Reproduz-se por meio de estacas e o espaçamento indicado é de 50 cm entre as plantas.

· Falsa-vinha ou hera-de-inverno (Partenocissus tricuspidata):esta bela trepadeira pode proporcionar o fechamento total do muro, mas no outono/inverno perde parte das suas folhas, expondo suas ramificações que são muito ornamentais. Originária da China e Japão, necessita de sol pleno para um perfeito desenvolvimento, mas pode se adaptar à meia-sombra. Sua reprodução se dá por estaquia da ponta dos ramos e o espaçamento ideal para o plantio é de 50 cm entre as plantas, rente ao muro. Veja foto ao lado.

 

  

Trepadeiras de raízes adventícias: 
Estas plantas trepadeiras caracterizam-se por se fixarem por meio de suas raízes adventícias. Complicou? Então lá vai a explicação: raízes adventícias são todas aquelas que, de forma secundária, independentes da raiz primária, nascem nos caules ou nas folhas de qualquer vegetal. São justamente estas raízes que fazem destas trepadeiras ótimas plantas para revestimento de muros, podendo até escondê-lo totalmente, principalmente se a superfície for porosa e áspera (tijolo aparente, pedras e chapisco grosso). Elas só não vão bem em muros pintados com cal. Eis alguns exemplos deste tipo de trepadeira:

· Unha-de-gato (Ficus pumila):talvez seja a mais famosa da categoria. Pode resultar no fechamento total da superfície do muro. Os especialistas não recomendam o seu uso em paredes, apenas em muros, pois ela retém muita umidade. Originária da China e Japão, necessita de sol pleno ou meia-sombra com algumas horas de sol por dia para se desenvolver bem. Reproduz-se por meio de estacas das pontas dos ramos. O espaçamento ideal para o plantio é de 50 cm entre as plantas, bem rente ao muro. Foto ao lado.

· Singônio (Singonium podophyllum): fixa-se muito bem sobre o chapisco grosso. Originária da América Central, esta trepadeira se dá muito bem à meia-sombra. Reproduz-se por meio de pedaços do caule e o espaçamento ideal para o plantio é de 30 cm entre as plantas.

· Jibóia (Sindapsus aureus): é a trepadeira ideal para regiões quentes e litorâneas. Muito ornamental, combina com muros de pedras e até concreto. Originária da Malásia, pode ser cultivada à meia-sombra com ótimos resultados. Reproduz-se por meio de estacas e o espaçamento ideal para o plantio é de 30 cm entre as plantas.

· Heras (Hedera helix e Hedera canariensis):indicadas para regiões de clima ameno e frio, desenvolvem-se bem em muros rústicos, como os de chapisco. Originárias da África, podem ser cultivadas sob sol pleno, mas vão melhor à meia-sombra. Sua reprodução se dá por meio de estacas e o espaçamento ideal para o plantio é de 30 cm entre as plantas, rente ao muro. Ao lado, uma foto da Hedera helix.

 

 

Trepadeiras de caules torcidos: 
Estas plantas possuem caules lenhosos e vigorosos, crescem rápido e geralmente produzem lindas flores em abundância. Este tipo de trepadeira exige um pouco mais de trabalho, pois é preciso conduzir o seu crescimento com arames ou fios de nylon. O recurso da tela de arame também é ótimo para estas trepadeiras. Alguns exemplos deste grupo:

· Congéia (Congea tomentosa): quando bem adaptada é capaz de cobrir-se totalmente de flores. Seu crescimento é vigoroso e rápido. Ideal para climas quentes. Em regiões frias o resultado não é tão bom. Originária da Índia, necessita de sol pleno para florir em abundância. Multiplica-se por meio de estacas e o espaçamento ideal para o plantio é de 1m entre as plantas.

· Tumbérgia-azul (Tumbergia grandiflora): esta trepadeira geralmente cresce bem rápido e produz belas flores de coloração lilás/roxo. Também originária da Índia, necessita de sol pleno e reproduz-se por meio de estacas. o espaçamento correto para o plantio é de 50 cm entre as plantas.

· Tumbérgia-sapatinho ou sapatinho-de-judia (Tumbergia mysorensis): trepadeira de belíssima floração, no começo cresce lentamente, mas com o passar do tempo seu desenvolvimento se acelera. Originária da Índia, deve ser cultivada sob sol pleno. Reproduz-se por meio de estacas e o espaçamento indicado é de 50 cm entre as plantas.

· Sete-léguas (Pandorea ricasoliana): também chamada de trepadeira cipó, apresenta crescimento vigoroso, forma uma cortina densa e florida. Originária da Austrália, multiplica-se por meio da estaquia da ponta dos ramos. Necessita de sol pleno, sendo indicada para regiões de clima quente e úmido. O espaçamento ideal para plantio é de 70 cm entre as plantas.

· Cipó-de-são-joão ou flor-de-são-joão (Pyrostegia venusta): originária do Brasil, esta trepadeira produz flores alaranjadas e abundantes, durante o ano todo. Propaga-se por estaquia da ponta dos ramos. Necessita de sol pleno e o espaçamento indicado é de 50 cm entre as plantas.

· Lágrima-de-cristo ou clerodendro-trepador (Clerodendrum thomsonae):vai muito à meia-sombra e produz belas flores em cachos. Originária da África, multiplica-se por estaquia da ponta dos ramos. O espaçamento ideal é de 50 cm entre as plantas. 

· Madressilva (Lonicera japonica): originária do Japão, China e Coréia, prefere climas amenos e frios. Necessitam de condução. Produz flores delicada e perfumadas. Sua reprodução se dá por estaquia de galho. Plante no espaçamento de 50 cm entre as plantas. Veja foto ao lado.

   

Embora não sejam trepadeiras, mas sim arbustos escandentes, não podemos deixar de citar a alamanda e a costela-de-adão. Estas duas espécies são excelentes para a decoração de muros:

Alamanda (Allamanda cathartica): também conhecida como alamanda-amarela ou dedal-de-dama, esta espécie pode proporcionar uma bela decoração para muros, com seus ramos pendentes floridos. A alamanda produz flores amarelas e grandes, necessita de sol pleno e se reproduz por meio de estaquia dos galhos. Originária do Brasil, é ideal para clima quente e úmido e o espaçamento indicado é de 50 cm entre as plantas. Mas deve-se ter um cuidado extra com esta espécie, pois trata-se de uma planta tóxica.

 

Costela-de-adão ou banana-de-macaco(Monstera deliciosa):possui uma folhagem exótica e exuberante que adere bem ao muro, mas possui o crescimento bem lento. O nome científico refere-se ao fruto que produz, que tem a fama de ser delicioso. Dizem até que era muito apreciado pela Princesa Isabel. Combina bem com muros rústicos, especialmente os muros de pedras. Originária do México, gosta de locais à meia-sombra. Reproduz-se por meio de estacas de pedaços do caule e o espaçamento correto para o plantio é de 1m entre as plantas.

Kit's para cultivo de flores e plantas estão à venda na Loja do Jardim - Clique aqui!

voltar ao topo