Kits para cultivo de flores comestíveis estão à venda na Loja do Jardim

 

Como preparar deliciosas receitas com flores

 

 

Por: Rose Aielo Blanco*

 

 

Com perdão do trocadilho, mas “nem tudo são flores quando se trata de flores comestíveis”: muitas delas, apesar de belas, não podem ser ingeridas. É o caso daquelas que apresentam substâncias tóxicas ou venenosas.


Isso sem falar que flores comestíveis devem ser cultivadas sem qualquer adição de substâncias químicas, defensivos, etc. De preferência, devem ser provenientes de produtores que se dedicam ao cultivo orgânico e para esta finalidade específica. O ideal mesmo é que a pessoa possa cultivar suas próprias flores comestíveis.
Observando estes cuidados, podemos nos dedicar a preparar deliciosas receitas com flores. Selecionei algumas sugestões que vão fazer um verdadeiro sucesso e surpreender pela originalidade!

 

Geléia de Gerânio (Pelargônio)
As flores de várias espécies de pelargônio (que no Brasil chamamos de gerânio) podem ser usadas em saladas, para aromatizar vinagre de vinho e, cristalizadas, enfeitar bolos e sobremesas. Aqui vai a receita:

 

2 xícaras (chá) de pétalas de pelargônio ou gerânio (reserve algumas para enfeitar)
20g de sementes de laranja
500g de açúcar
750 ml de água

 

Colocar as sementes de laranja na água e deixar ferver. Retirar as sementes. Juntar as pétalas e o açúcar e deixar ferver um pouco. Coar e guardar o líquido por 12 horas. Voltar ao fogo e mexer até obter o ponto de geléia. Colocar em vidro e juntar algumas pétalas de pelargônio como enfeite. Usar imediatamente ou guardar por no máximo um mês.

 

Salada de frutas com amor-perfeito
O amor-perfeito (Viola tricolor) é conhecido também como “pensamento”. Há quem diga que este nome surgiu em razão da aparência da flor lembrar um rosto em meditação. Este é o típico exemplo de flor que pode ser usada inteira, incluindo as sépalas verdes que ficam na base da flor. Na culinária é uma flor bem versátil, enfeita saladas, sobremesas e bebidas – neste caso, é só colocar numa taça flutuando. Esta receita é muito especial para ser servida como sobremesa, especialmente na primavera e no verão:

 

1 cacho de uvas verdes sem sementes
1 mamão papaia firme
2 laranjas
2 bananas nanicas ou maçã
1 cálice de licor de sua preferência
Flores de amor-perfeito à gosto

 

Retire as uvas do cacho e lave-as bem. Retire casca e sementes do mamão papaia e corte em cubos. Descasque as laranjas, retirando a pele branca e as sementes e corte em pedaços. Descasque as bananas e corte em rodelas finas. Misture tudo numa taça grande para sobremesa ou tigela funda. Regue com o licor. Lave delicadamente as flores de amor-perfeito e enfeite a salada de frutas.


Sanduíche de Cravina
A cravina (Dianthus barbatus) pertence à mesma família dos cravos e também podem ter várias aplicações na culinária. São usadas apenas as pétalas, que têm um perfume suave, lembrando o cravo-da-índia. A parte basal das pétalas deve ser removida, pois seu sabor é bem amargo. Lá vai a receita:

 

Fatias de pão de forma integral
Queijo cremoso de sua preferência
Cenoura ralada
Pétalas de cravina à gosto
Lave as pétalas de cravina e deixe secar sobre papel-toalha absorvente. Depois de secas, misture-as delicadamente com o queijo cremoso. Passe o creme em duas fatias de pão, recheie com a cenoura ralada, formando um sanduíche.

 

Salada Colorida com Calêndula e Capuchinha
Também conhecida como margarida-dourada a calêndula (Calendula officinalis), além de bonita, faz bem para a saúde, pois suas pétalas ou lígulas são ricas em carotenóides. Povos antigos usavam a calêndula para substituir o açafrão no preparo de alguns pratos, pois ela acrescenta uma bela tonalidade amarelo-alaranjada a alimentos como arroz, macarrão, sopas, queijos, manteigas e omeletes. A exemplo de outras flores comestíveis, recomenda-se retirar o miolo, pois o sabor é amargo.


Já a capuchinha (Tropaeolum majus),também conhecida como chaguinha ou nastúrcio, enfeita qualquer prato com suas flores amarelas, alaranjadas ou vermelhas. Neste caso, as folhas redondas e verdinhas, também são comestíves e o sabor lembra bastante o agrião. A exemplo das calêndula, as flores da capuchinha são ricas em carotenóides, especialmente num deles: a luteína, que ajuda a prevenir problemas como a catarata e a degeneração macular.

 

10 tomates cereja lavados
Cubos de queijo fresco à gosto
3 colheres de ervilha em conserva
3 colheres de milho verde em conserva
10 azeitonas verdes sem caroço
Folhas de rúcula ou agrião à gosto bem lavadas
Folhas de alface americana cortadas em tiras largas bem lavadas
Pétalas de calêndula à gosto
Flores de capuchinha à gosto
Vinagre de maçã
Azeite de oliva
Sal à gosto

 

Lavar bem as pétalas da calêndula as capuchinhas inteiras e deixar secar sobre um pano de prato limpo. Reserve. Enquanto isso, prepare a salada misturando numa saladeira todos os ingredientes. Tempere com o sal, o vinagre e o azeite à gosto. No final, espalhe as pétalas de calêndula e as capuchinhas por cima da salada e sirva imediatamente.

 

Salada de melão com Hesperis matronalis

Também conhecida como juliana-dos-jardins, a Hesperis matronalis é uma planta herbácea, da mesma família da mostarda – a Brassicaeae. Produz flores perfumadas nas cores branca, lilás e roxa.

Popularmente é usada como planta medicinal, no tratamento da gota, cálculos, abcessos e afecções da pele, como diurética, expectorante e sudorífica. Como flor comestível, além de enfeitar e acrescentar suave sabor às saladas e sanduíches frios, também é utilizada para aromatizar milk shakes, sucos e licores. Anote a receita:

 

1/2 melão sem casca cortado em cubos
150 g de queijo fresco em cubos
Uva passas sem caroço
1/2 lata de creme de leite light
1 colher de sopa de maionese light
Folhas de alface mimosa lavadas e escorridas
Flores de Hesperis matronalis lavadas delicamente e escorridas em papel absorvente

 

Forre uma saladeira com as folhas de alface e espalhe os cubos de melão e queijo fresco. Decore com as flores de Hesperis matronalis. Separadamente, misture o creme de leite com a maionese e as uvas passas. Sirva esta mistura à parte, em uma molheira.

 

 

 

Gelado de frutas e goivos com calda de maracujá

O goivo (Matthiola incana), também pertencente à família Brassicaceae, é originário do Mediterrâneo, Ásia e África do Sul. Suas flores podem ser purpúras, rosas, vermelhas ou brancas e são bem perfumadas. Em tempos antigos acreditava-se que suas sementes eram afrodisíacas, diuréticas e expectorantes. As flores são comestíveis, podendo ser utilizadas em saladas ou sobremesas. Esta receita é muito simples, mas causa impacto na hora em que é servida:

2 xícaras (chá) de água
1 xícara (chá) de açúcar
6 colheres (sopa) de suco de limào
raspas de limão
3 mangas cortadas em cubos
3 peras cortadas em cubos
5 fatias de abacaxi de 1 cm de espessura cortada em pedacinhos
10 uvas sem sementes e cortadas no meio
flores de goivo lavadas e escorridas em papel absorvente

Calda

polpas de 5 maracujás
2 ¼ xícaras de creme de leite
¾ de xícara de açúcar


Leve ao fogo numa panela com a água, o açúcar, o suco e as raspas de limão. Mexa constantemente e deixe ferver por 5 minutos. Coe e reserve até esfriar.
Coloque as frutas numa saladeira ou travessa funda, despeje a mistura reservada e leve à geladeira.
Prepare a calda: misture as polpas dos maracujás com um pouco de água e passe pela peneira. Misture bem o creme de leite com o açúcar e , aos poucos, junte o suco de maracujá. Mantenha na geladeira por 2 horas. Na hora de servir, espalhe as flores de goivo por cima do gelado de frutas. Sirva a calda preparada à parte, em uma molheira.

 

* Rose Aielo Blanco é jornalista, escritora e editora do www.jardimdeflores.com.br

 

 

 

Kits para cultivo de flores comestíveis estão à venda na Loja do Jardim

 

 


© Todos os direitos reservados.                                            Contato   Vídeos     Sobre Nós                                                         Visite a Loja do Jardim